Se fosse pra eu viver de poesia

Se fosse pra eu viver de poesia
eu encheria uns baldes
quebraria dois dedos
tentaria arranjar mais alguns medos
e deixaria na chuva o jornal
só pras letrinhas borrarem
Então, eu chutaria os baldes que enchi
reclamaria da dor
me trancaria em mim
e colocaria o papel de tinta escorrida na parede
pra dar uma impressão de tristeza
– e um trocadilho besta
Por fim,
com os baldes virados
os dedos quebrados
e tantos medos assim
Eu jogaria no lixo meu romance
E me esqueceria de Cristo, enfim
Se fosse pra eu viver de poesia
É que eu ando pensando que nessa feira
vende mais a dor que a alegria
Anúncios

2 Respostas para “Se fosse pra eu viver de poesia

Deixa um comentário para a posteridade

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s